segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Até logo...

Na noite deste domingo, após reconhecer a vitória de Dilma na eleição presidencial, Serra fez um pronunciamento, e afirmou que a derrota "não é adeus, é até logo".

"Quero agradecer aos brasileiros de todos os cantos do nosso território. No dia de hoje, os eleitores falaram. Nós recebemos com respeito e humilde a voz do povo nas ruas. Quero aqui cumprimentar a candidata eleita Dilma Rousseff e desejar que faça bem para o nosso país. Eu disputei com muito orgulho a Presidência da República. Quis o povo que não fosse agora. Mas digo aqui, de coração, que sou muito grato aos 43,6 milhões brasileiros e brasileiras que votaram em mim.

Sou muito grato a todos e a todas que colocaram um adesivo, uma camiseta, que carregaram uma bandeira com o Serra 45. Meu imenso muito obrigado a vocês de todo o nosso país. Quero agradecer também aos milhões de que lutaram nas ruas e na internet em defesa da nossa mensagem de um Brasil soberano, democrático e que seja propriedade do seu povo. Vou carregar comigo cada olhar, cada abraço, cada frase que eu recebi em todo o Brasil. Cada mensagem de estímulo, de vibração, inclusive no meu Twitter, que tem centenas de milhares de participantes.

E vou dizer a vocês uma coisa que eu disse muitas vezes: eu recebi toda energia para essa campanha, com sete meses, foram sete meses, desde que eu sai do governo de São Paulo, de muita energia, de muita movimentação e de muito equilibro que foi necessário. E eu chego hoje nesta etapa final com a mesma energia que eu tive ao longo dos últimos meses. O problema é como despender essa energia nos próximas dias e semanas. É uma energia que foi passada em todo o Brasil. Eu insisto, nas ruas, em todos os lugares, as pessoa falando, as pessoas abraçando.

E quero lembrar ainda que ao lado desses 43,6 milhões votantes, nós recebemos também votos que elegeram 10 governadores que nos apoiaram em todo o nosso país. Dos quais, um está presente: meu querido companheiro de muitas jornadas Geraldo Alckmin. Quero dizer que se empenhou mais na minha eleição do que se empenhou na sua, sinceramente. Mas a maior vitória que nós conquistamos nesta campanha não foi mérito meu, mas foi mérito de vocês.

Pode parece estranho para um candidato que não ganhou a eleição, mas vim aqui não para falar de frustração, mas para falar da confiança e da esperança. Nestes meses duríssimos, quando enfrentamos forças terríveis, vocês alcançaram um vitória estratégica no Brasil. Cavaram uma grande trincheira. Construíram uma fortaleza. Consolidaram um campo político de defesa da liberdade e da democracia no Brasil. Um grande campo político em defesa da democracia, da liberdade e das grandes causa sociais e econômicas do nosso país, que estão aí vivas no sentimento de toda a nossa população.

A nossa campanha trouxe também ao cenário eleitoral uma juventude que ama o Brasil, uma juventude que a ma a liberdade. Eu encontrei os jovens no Brasil inteiro, pessoalmente, na internet, por todo o canto. Ao longo da campanha, eu vi em muitos deles, dos jovens, em centenas, em milhares, o jovem que eu também fui um dia, sonhando e lutando por um país melhor, como eu faço até hoje. Por um país melhor, mais justo e democrático. Onde os políticos fossem servidores do povo e não se servissem do nosso povo. Vocês, eu repito, não imaginam quanto energia eu tirei daí. Como isso me jogou para diante, mesmo nos momentos mais difíceis.

E para os que nos imaginam derrotados, eu quero dizer: nós apenas estamos começando uma luta de verdade. Estamos no começo do começo. E nós vamos dar a nossa contribuição em defesa da pátria, da liberdade, da democracia, do direito que todos têm de falar e de serem ouvidos, da justiça social Vamos dar contribuição como partidos da nossa frente de partidos, como indivíduos, como parlamentares, como governadores. Essa será a nossa luta dos próximos anos. Por isso a minha mensagem de despedida neste momento, não é um adeus é um até logo.

A luta continua, viva o Brasil. Vou aqui falar o último verso do nosso hino, que é muito significativo, que mais de uma vez eu disse na nossa campanha: "Mas, se ergues da justiça a clava forte, Verás que um filho teu não foge à luta, Nem teme, quem te adora, a própria morte. Terra adorada, Entre outras mil, És tu, Brasil, Ó Pátria amada! Dos filhos deste solo és mãe gentil, Pátria amada, Brasil! "

domingo, 31 de outubro de 2010

Mudança é sempre pra melhor...

Eu amo tudo o que foi,
Tudo o que já não é,
A dor que já me não dói,
A antiga e errônea fé,
O ontem que dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.

(Fernando Pessoa, 1931.)